• Time Whywaste

7 formas de reduzir o desperdício de alimentos em casa.


Infelizmente uma boa parte dos alimentos que trazemos para casa nós jogamos no lixo. Desde produtos que vencem na geladeira ou na dispensa, da fruta que amadureceu ou o restou do almoço de domingo com a família, tudo nos parece pouco quando jogamos fora, mas esse “pouco” que cada um de nós joga vem impactando seriamente a nossa vida no planeta.


Felizmente há muitas maneiras de reduzir o desperdício de alimentos. O que precisamos é de uma mudança nos hábitos de compras e de alimentação de cada um.


Listamos abaixo sete estratégias para usar mais e melhor a comida comida que você tem e evitar que o excesso chegue à sua cozinha. Tudo muito fácil e prática, para que você consiga implementar hoje mesmo.


1. Atenha-se a uma lista de compras:


Eu sei. Dica muito simples não é ? Mas não se engane, trata-se de uma das mais simples e poderosas formas de evitar compras (e despesas) desnecessárias.

Isso não quer dizer que você tenha que planejar cada coisa que vai cozinhar ou comer. Uma dica é adquirir produtos de uso amplo, como por exemplo carne moída, que pode ser usada para fazer desde hamburguers a molho a bolonhesa, ou abóbora, que pode ser consumida assada, ou virar um purê ou uma deliciosa sopa.


2. Use seu congelador sabiamente.


Existem alguns casos em que os produtos frescos são realmente os melhores. Algumas frutas como o morango por exemplo ficam moles uma vez congeladas. Porém, muitas vezes Mas muitas vezes frutas e vegetais congelados funcionam tão bem para coisas como smoothies, salteados e sopas. E como eles ficam bons por meses e meses, apoiar-se mais neles pode ajudar os consumidores a reduzir o desperdício de alimentos quase pela metade.


3. Armazene seus alimentos para que permaneçam frescos pelo maior tempo possível.


Quanto mais tempo você conseguir manter a comida fresca, menos provável que estrague e seja jogada fora antes de poder comê-la. Parte disso tem a ver com adquirir conhecimento sobre a melhor maneira de armazenar seus produtos e ingredientes.


Por exemplo, você pode refrigerar abacates maduros para mantê-los em seu pico por até cinco dias. E você sabia que as maçãs podem ficar frescas até 10 vezes mais (até seis semanas!) Quando você as mantém na geladeira em vez de no balcão?


Mas também se trata de ser real sobre seus hábitos alimentares. Lavar e picar alface dias antes do plano de comê-la pode, na verdade, fazer com que ela estrague mais rapidamente. Por outro lado, se lavar e picar com antecedência aumenta a probabilidade de você comer, então você deve se preparar com antecedência. ]


4. Coma as comidas mais antigas primeiro


Ao procurar algum produto para comer ou planejar sua refeição verifique se há produtos que estão parados há mais tempo para que você possa usá-los antes que estraguem.


Uma dica é reservar um lugar na frente e/ou no centro da geladeira para itens que durarão apenas mais alguns dias para que você não perca o controle.


Ao trazer novos mantimentos, como iogurtes, lembre-se de botar os mais novos atrás e trazer os mais antigos para frente da geladeira.


Fazer uma varredura rápida e regular na sua dispensa pode ajudar. Considere fazer uma pequena organização da geladeira ao menos uma vez por semana, para que você tenha uma ideia do que está disponível para cozinhar.


5. Compartilhe ou crie o hábito de doar o que você não irá consumir.


Encontrou algo na geladeira ou despensa que ainda está fresco, mas que você sabe que não vai conseguir usar? Isso acontece muitas vezes. Mas isso ainda não significa que a comida tenha que acabar no lixo. Basta compartilhar com outra pessoa, de preferência sem contato, se for alguém de fora da sua casa.


6. Não jogue alimentos fora automaticamente com base nas datas de validade.


Você já jogou fora uma caixa de leite ou ovos só porque a data de validade tinha passado um ou dois dias? Você não está sozinho. A confusão sobre esses pequenos carimbos de data é responsável por 20% do desperdício de alimentos do consumidor ao redor do mundo.

A verdade é que as datas de validade, venda e validade apenas indicam quando um alimento está em seu pico de frescor - e não se é seguro comer.


(A única exceção é a fórmula infantil. Nesses casos é melhor seguir estritamente essas datas de validade.)


Em outras palavras, é melhor seguir com seu instinto do que viver de acordo com o carimbo de data. Um produto ainda deve ser seguro para consumo depois de decorrida a data, desde que não apresente características de deterioração, como sabor, odor ou textura estranhos.


7. Compre produtos que não pareçam perfeitos.


Muitos produtos são jogados fora em fazendas e supermercados por serem deformados ou fisicamente imperfeitos - embora sejam perfeitamente seguros (e saborosos) para come. Comprar esses produtos feios é uma maneira fácil de mantê-los fora do aterro sanitário, e há muitas maneiras de fazer isso.


Hoje no Brasil alguns sites já passam a oferecer esses produtos por valores até 50% mais baratos: São o B4Waste, Restin, Fruta Imperfeita e mais recentemente Gander, vale a pena conferir cada um deles e aproveitar.

8 visualizações0 comentário