• Time Whywaste

Um problema muito maior do que nós pensávamos



Como diz o ditado, ver é acreditar. Para mim, esse momento se deu quando me vi andando com folhas de alface perfeitamente comestíveis até o nível dos joelhos, jogadas lá porque simplesmente não atendiam mais os padrões estéticos dos supermercados.


Desperdício de alimentos não é uma nova história. Lemos todos os dias sobre o lixo gerado por supermercados e também por nossas casas. Mas o desperdício gerado na produção, na fazenda, é ainda muito pouco discutido. E minha pergunta é, por que ? Acredito que por um lado há muito poucas pessoas visitando fazendas regularmente do que indo a supermercados. Combine isso com o fato de que foram nossas próprias preferências estéticas pela perfeição na comida que inadvertidamente estabeleceram os padrões de qualidade dos fornecedores. Fazendeiros e distribuidores apenas atenderam o nosso padrão de qualidade.


Vou te dar um exemplo: Aquela maçã que você comprou para a lancheira do seu filho? Possui padrões estéticos específicos que, se não forem atendidos, você simplesmente não a compra, logo os varejistas também irão rejeitá-los. Infelizmente, essas condições impactam toda a cadeia, com produtores e fornecedores estabelecendo práticas de colheita e técnicas de seleção para colher apenas o que atender o seu padrão de qualidade. Logo, resolver o problema do desperdício de comida começa com cada um de nós. O que a maioria das pessoas não sabe é que, quando você compra algo perfeitamente cortado e aparado, o restante da planta é cortado e deixado no campo, liberando gases nocivos ao meio ambiente. Surpreendentemente, essas práticas fazem com que mais de 40% de toda a alface comercializada no Brasil seja desperdiçada ainda na fazenda. O Brasil é uma potência agricola, a maior no mundo. Produzimos alimentos como nenhum pais, porém as quantidades de alimentos que nossa produção desperdiça também é bastante elevada. Dados da FAO, orgão ligado a ONU, dedicado a alimentação e agricultura, mostram que em 2019, jogamos fora R$ 26 milhões de toneladas de alimentos. Dados que, segundo a FAO, estariam subnotificados, uma vez que a forma como controlamos e registros tais perdam são questionadas pelo orgão.


Ou seja, o problema real certamente é bem maior que os mostrados pelos números oficiais.


Mas, o que cada um de nós poderia fazer para resolver esse problema ?

Listo abaixo alguns exemplo de ações simples, mas de grande impacto se realizada por todos.


1. Resgatar os “feios”: Nossa sugestão é que empresas e consumidores devem reduzir sua preocupação com a estética dos produtos e criar o hábito de comprar produtos "feios". Supermercados poderiam criar áreas específicas para o comércio de tais produtos, e fornecê-los a preços promocionais.


2. Selecione produtos inteiros: Quando for ao supermercado, sempre que possível, escolha partes inteiras dos produtos, em especial frutas e verduras.

3. Divulgue: O desperdício de alimentos não está apenas acontecendo na geladeira. Ou na prateleira. É um problema que todos os membros da cadeia de suprimentos de alimentos frescos enfrentam, incluindo agricultores, e um que precisamos resolver com urgência. Quanto mais cedo divulgarmos e criarmos mais soluções, mais rapidamente poderemos resolver as mudanças climáticas.

8 visualizações0 comentário