• Time Whywaste

Sobre Prevenção de Perdas e Investimentos Sustentáveis


Em 2020 vimos três grandes redes de varejo de alimentos realizarem ou comunicarem interesse em realizar suas ofertas públicas de ações (IPO): Foram elas a CSD (Companhia Sulamericada de Distribuição) de Maringá, a operação brasileira da chilena Cencosud, e a Rede de Supermercados Mateus. O caso da Mateus, rede de alimentos com sede em São Luiz, no Maranhão, que conseguiu levantar R$ 4.6 bilhões de reais, um recorde para uma empresa da região Nordeste, demonstra o potencial deste setor que passou imune a crise econômica ligada a pândemia e que pretende crescer +4.5 em 2021.


Para investidores, em especial aqueles alinhados aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas (ODS12 – que visa o consumo responsável e a produção) que tenham interesse em alocar recursos em empresas do setor de alimentos é preciso ficar atento as políticas adotadas pelas empresas em análise na área de prevenção de perdas e redução de desperdícios.


Uma área de prevenção de perdas enxuta, com forte investimento em melhoria de processos e tecnoloigia tecnologia tem forte ligação com uma melhor imagem da empresa perante o público consumidores assim como melhores retornos para os acionistas.


Foi o que mostrou um recente estudo apresentado pelo ex-primeiro ministro filandes e atual vice presidente de negócios, investimento e competitividade da União Europeia, Jyrki Katainen.


O estudo conduzido por ele ressaltou o impressionante impacto positivo nos resultados econômicos-financeiros das empresas de alimentos que investem na redução do desperdício em seus processos, com resultado médio de 14:1 sobre seus investimentos no longo prazo.


"O ligação direta entre bom resultado financeiro e uma sólida política de prevenção de perdas alimentares pautada em resultados é clara", disse Jyrki Katainen.

Na ocasião Katainen estava se dirigindo aos demais representantes de paises membros da União Europeia em evento dedicado a debater novas políticas voltadas a reduzir o despedício de alimentos no continente. Ele explicava os motivos por trás de um novo ato a ser votado pela comissão europeia que eventualmente exigirá que os paises membros passem a monitoriar o nível de desperdício de alimentos e tomem medidas para gerenciá-lo.


"No desperdício de alimentos, como na vida, o que é medido, é gerenciado", disse Katainen. "Para podermos promover a circularidade na cadeia alimentar, precisamos saber onde, o que, quanto e por que estamos desperdiçando recursos alimentares. Estamos dando um passo decisivo para obter esse conhecimento."


Aqui no Brasil a adoção de tecnologia na área de prevenção de perdas reune hoje talvez o maior potencial de geração de resultados para os supermercadistas uma vez que pesquisa da Abrappe de 2019 apontou que em nosso pais 6 em cada 10 supermercados não possuem departamento, profissional ou até mesmo sistemas dedicados a gerenciar o despedício. Isso faz com que, em muitos negócios, a percentual de perda seja superior a margem líquida de uma operação.


Benefícios para investidores

Como parte de esforços de pesquisa mais amplos para entender os benefícios financeiros da economia circular, os gestores de fundos de investimentos ao redor do mundo têm cada vez mais constatado o porquê que devem cada vez mais pressionar as empresas de alimentação a investirem mais e melhor na área de prevenção de perdas.


Em novembro, o Rabobank divulgou um relatório sugerindo que as empresas europeias de alimentos e agricultura podem economizar até 10 bilhões de euros, se investirem em inovação e tecnologia que venham a auxiliar na redução do desperdício na cadeia alimentar. Neste relatório analistas do banco identificaram que aproximadamente EU 2,5 bilhões podem ser economizados através do investimento em sistemas que ajudem os supermercados a monitorados de forma mais eficaz a validade e frescor de alimentos.


Os resultados apresentados pelo Rabobank acompanham as análises de vários outros analistas financeiros que chegaram a conclusões semelhantes.


"As tecnologias emergentes estão cada vez mais oferecendo as empresas a oportunidades de reduzir mais e mais os seus custos" é o que afirma Emma Berntman, da Hermes EOS. Além disso prevenção de perdas é uma área que compreensivelmente tem tido maior visibilidade perante os consumidores. A percepção do desperdício portanto tem forte impacto negativo na imagem da empresa perante esses consumidores.


"Como administrador de fundos de investimento temos pressionado nossas investidas pela implementação de políticas e programas de redução de resíduos de alimentos nas cadeias de suprimentos e lojas, e cobrando resultados deles" ---- Fonte: Robobank: https://www.rabobank.com/en/about-rabobank/background-stories/food-agribusiness/whos-investing-in-reducing-food-waste.html World Resource Institute: https://www.wri.org/news/2017/03/release-new-research-finds-companies-saved-14-every-1-invested-reducing-food-waste



7 visualizações0 comentário

LINKS

Políticas de Privacidade

Sala de Imprensa

PARCEIROS

logo.png
logo_conectarasil.png

PRÊMIOS 

0_fJnmzvpLXC7-F4h-%2520(1)_edited_edited
selo-iImpact-whywaste-2020_edited.png
5cefbc20-e36e-4dbf-99a5-f6cefff12ad7_edi
STARTUP_-_selo_para_site_e_portfolio_edi

NOSSAS METAS

objetivo-01.jpg

INFORMAÇÕES DE CONTATO

+55 21 3717 3040

pngkey_edited.png
pngkey_edited.png
pngkey_edited.png

ONDE ESTAMOS LOCALIZADOS

Rua Dois de Dezembro 107

Flamengo, Rio de Janeiro, Brasil

© 2021 Whywaste Brasil  - Made with ❤️ for a better world